Gadol Elohai - Joshua Aaaron

2.2.08

A minha igreja faz este ano 40 anos de existência.
Durante a cerimónia de aniversário, recordavam-se histórias do passado.
Um Pastor desse tempo recorda que vinha de Lisboa fazer os cultos. Vinha e regressava a casa de comboio. Na volta, tinha que esperar cerca de 1,5 hora na estação. Chegava à Boa Hora já depois das 1:30 da manhã. Mas não havia frio que o arrefecesse. Ía e vinha, aquecido pelo Espírito Santo.
A casa, a mesma de hoje remodelada, enchia 200 lugares. Vinham pessoas a pé, de distâncias de 10 Km. Dizem que vinham em grupo, a cantar os hinos que aprendiam, pelo caminho.
Falam-se de grandes milagres. Uma família inteira dá testemuho de ter sido liberta de opressão espiritual.
Fala-se também de marginalização e de perseguição.
Consultei o livro de registos de conversões...impressionante...década de 70: registo de uma média de 1 dezena de pessoas, cada Domingo. Década de 80: registo de uma média de 5 pessoas, cada Domingo. Época de 90 até hoje: folhas brancas, escassamente registadas...
X
X
Mas hoje até somos tão aceites! Damo-nos até ao luxo, de termos a Presidente de Câmara na cerimónia, que fala emocionada, danto conta da sua fé e crença em Deus!...
Há qualquer coisa que não faz sentido.

5 comentários:

Vilma disse...

Falta de fervor?
De amor?
O que está a faltar-nos?

Hadassah disse...

Creio que sim Vilma...que nos falta tudo isso.

Parece-me que estamos a viver tempos semelhantes aos da Igreja de Laudiceia. Dinheiro não nos falta, cada um julga-se mais espiritual do que o outro e no fundo estamos vazios de amor, mornos, sem temor de Deus.

Ás vezes penso que o que nos falta são dificuldades.

DTA

jc disse...

Atribui-te um prémio...
Visita o seguinte link, e se decidires aceitar, dá continuidade...
Beijinhos...

http://eticamenteincorrecto.blogspot.com/2008/02/prmio.html

Dennys Reys disse...

O senhor continua o mesmo conosco e nós... temos sido os mesmo com ele... estranho quremos muito do Senhor se damos tão pouco a Ele....

Aproveito para lhe convidar a visitar meu blog...
http://ointercessor.blogspot.com/
Abraços

Pedro L. disse...

fhvgDiria que o importante é permanecer fiel. É isso que Deus quer de nós. Cada geração tem que enfrentar os seus problemas. E não é menos heróico permanecer fiel quando os inimigos , em vez do confronto directo, preferem a dissimulação. Talvez não seja possível repetir, por agora, os tempos que passaram. Mas, como tu fazes aqui, podemos aprender com o exemplo dos que nos antecederam.