Gadol Elohai - Joshua Aaaron

13.3.07

A minha congregação

... no seguimento do meu post da temperatura:
tenho por princípio que devo ser fiel à congregação que me deu o privilégio de conhecer Deus e onde descobri o caminho da salvação, mesmo até que venhamos a ser 2 ou 3 reunidos e por muitas que sejam as decepções .
Tenho para mim que serão maiores os danos, da ausência da "minha" igreja onde somos meia dúzia, que os ganhos em qualquer outra, onde sejam multidões...
Mas sendo-lhe fiel não abdico de a críticar construtivamente, a não ser que venha aí um surto de "febre" ... ou falando espiritualmente um verdadeiro "avivamento".

2 comentários:

Raquel disse...

Acho que é importante fazer um balanço, ver a temperatura como dizes, ter um olhar introspectivo crítico. Já o fiz,tirei muitas conclusões. Deixo-te algumas:
- Sei que dois ou três unidos sinceramente no propósito de Deus valem mais que muitas multidões empresarialmente estruturadas com sucesso, mas destituídas de amor e fé.
- Às vezes o problema está nos líderes outras nos membros, mas na realidade somos iguais para Deus, membros do Seu corpo e as falhas ocorrem quando a cabeça não é Cristo, afectando todos todos.
-Sei que a comparação não é a mais adequada, uma coisa é a Igreja outra instituições humanas (se bem que às vezes parecem o mesmo), mas acho que facilita o raciocínio: há instituições bancárias muito boas, de renome, com muitos clientes fiéis, mas ás vezes há agências locais que simplesmente não funcionam. Do mesmo modo outras instituições menos "prestigiadas" têm agências funcionais e adequadas ás necessidades dos clientes...
Alonguei-me muito...
Como dizia Camões, o melhor de tudo é crer em Cristo!

alealb disse...

uau...
a raquel fez um resumo sensacional...
bem,
fidelidade sim, mas nunca perdendo a visão correta do que acontece, a fim de tentar seguir cada vez melhor!
o que importa mesmo é nosso Alvo!
e o nenem como vai?
beijos,
alê