Gadol Elohai - Joshua Aaaron

16.11.08

Comércio tradicional

Já em tempos falei aqui na minha simpatia pelas compras na praça em vez de nos hipermercados: poupo mais tempo, canso-me menos, gasto menos dinheiro, compro melhor e apenas o que preciso! E a família gosta de todo aquele ambiente de Sábado de manhã.
Ontem fui surpreendida pelo rapaz do talho das imediações. Comprei hamburgueres e almôndegas já preparadas. Decidiu, para minha surpresa, cobrar apenas os hamburgueres. Surpreendida avisei-o que "o tempo não está para generosidades", ao que me respondeu: "pois não! Mas olhe, parece que quanto mais dou, mais tenho!"
Respondi-lhe que disso não tinha dúvidas...Nos dias de hoje são pouco vulgares atitudes como estas ...
De uma coisa estou certa, os hipermercados cortam com estas iniciativas de relação humana...as pessoas que nos atendem, são autênticos "robots", sem qualquer poder de tratamento com diferenciação.
Um bom resto de Domingo!

1 comentário:

Vitor Costa disse...

O comércio tradicional, na verdade,a não ser que seja muito bem gerido, tem fortes probabilidades de vir a desaparecer...o que é pena...se já tudo parece tão frio, com o desaparecimento destes comerciantes que fazem com que as relações pareçam mais próximas...Espera-se que o Governo tenha em atenção a este aspecto...para o bem de todos. Barcelos decidiu não ter grandes superfícies para defender os pequenos comerciantes...raro...mas muito bem!!!